pexels-daniel-frank-305568.jpg

Medicina Periodontal

Tudo está conectado. Com essa frase iniciamos nossa conversa sobre Medicina Periodontal ou Periodontia Médica.

Sendo uma subárea da Periodontia, essa conexão da boca ao corpo surgiu a partir da riqueza de estudos que estabeleciam uma forte conexão entre: saúde ou doença periodontal em relação a saúde ou doença sistêmica. Nessa visão, saúde é uma coisa só e tudo está integrado: boca e corpo. A gengiva e todo o periodonto (estrutura de suporte dos dentes), via circulação sanguínea e linfática fazem conexão direta com todo o corpo. Gengiva doente e ou periodonto doente é igual a corpo doente!

A gengiva é irrigada por vasos sanguíneos que são ramos terminais das artérias dentárias, que se conectam com as artérias faciais formando um complexo de anastomoses que faz o suprimento dos tecidos duros e moles da maxila e da mandíbula. Assim, existe uma complexa conexão vascular que permeia o periodonto e evidencia o conceito de que boca e corpo estão profundamente conectados e mostram o impacto sistêmico que as inflamações gengivais podem ter.

Quando a gengiva sangra, é sinal de que há ulceração de tecido gengival, e microvasos do periodonto estão expostos e são uma porta aberta para que bactérias do biofilme dental, ou seus subprodutos entrem na circulação sanguínea, que conecta todo o corpo. Quanto mais bolsas periodontais, e mais profundas o paciente apresenta, ou seja, quanto maior a extensão e a gravidade da periodontite, maior a chance disso acontecer. Assim fica fácil entender que não existe saúde bucal ou sistêmica, mas que saúde é saúde!

Atualmente sabemos que a Periodontite representa a sexta condição crônica mais prevalente no mundo e cerca de 47% da população adulta pode apresentar a doença. O impacto da periodontite além da boca já foi identificado para diversas condições: ⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Doença cardiovascular aterosclerótica, diabetes e desfechos adversos da gestação mereceram destaque no último consenso sobre Medicina Periodontal publicado pela Academia Americana de Periodontologia e pela Federação Européia de Periodontologia.

 

Doença Cardiovascular Aterosclerótica: A periodontite tem sido associada a um risco aumentado para doença cardiovascular aterosclerótica, independentemente dos fatores de risco cardiovascular apresentados.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Diabetes: Diabetes e periodontite são doenças crônicas complexas com uma relação bidirecional estabelecida. Evidências consistentes e robustas apontam que:
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🦷 Hiperglicemia no diabetes: associada a resultados periodontais adversos. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🦷 Periodontite grave: afeta adversamente o controle glicêmico em diabéticos e afeta a glicemia em indivíduos sem diabetes. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
🦷 Terapia periodontal mecânica: redução de aproximadamente 0,4% na HbA1C em 3 meses (impacto clínico equivalente à adição de um segundo medicamento a um regime farmacológico para diabetes).

⠀⠀⠀⠀⠀
Desfechos da gestação: Baixo peso ao nascer, parto prematuro e pré-eclâmpsia: associados à exposição à periodontite materna. Profissionais de saúde devem recomendar às mulheres grávidas que realizem check-up periodontal precoce durante a gestação -pré-natal odontológico.

 

Essas são algumas das evidências científicas que temos atualmente, mas os estudos continuam e nos mostram também a importância do diagnóstico e da prevenção das inflamações gengivais realizados pelo cirurgião dentista, através dos exames periodontais e da análise individual dos pacientes, levando em conta demais fatores de risco como as doenças crônicas, o tabagismo, o etilismo, o sedentarismo, a má-alimentação e o estresse.

Saúde da boca e do corpo não se separam. Tudo está conectado.  

o-que-e-tratamento-endodontico-13062017084804.png